Um exemplo de honestidade

Quando criança eu gostava muito de ouvir relatos de passagens antigas da história da minha família. Por mais que fossem repetidos, não me cansava de ouvi-los; e a cada oportunidade, prestava muita atenção aos detalhes, tentando absorver algo mais. Passados os anos foi ficando claro para mim como os relatos das experiências de meus pais e avós foram instrutivos e contribuíram muito para o conhecimento de mim mesma e para a formação do meu caráter. Um desses relatos, sobre meu avô materno, teve significado especial para mim.

Conta minha mãe que seu pai havia feito um financiamento bancário para investir na produção das suas fazendas, na época da 2a Guerra mundial. Circunstâncias adversas não lhe permitiram alcançar resultados satisfatórios, colocando-o em sérias dificuldades. Como todos os produtores haviam sido afetados, o governo anunciou que a dívida dos fazendeiros com o banco estatal seria perdoada. Mas meu avô, no entanto, não se permitiu aproveitar aquela oferta, que considerou indigna. Faltando poucos dias para o vencimento de sua dívida decidiu vender boa parte do seu gado, ainda em fase de desenvolvimento, para obter os recursos necessários para honrar sua dívida.

Meu avô era um homem do campo, um fazendeiro muito rigoroso com os princípios que adotou como norma para conduzir sua vida. Deixou como herança para seus descendentes inúmeros exemplos de honestidade, honra e dignidade.

Arquivo do Blog